Sinto-me viver vidas alheias, em mim, incompletamente, como se o meu ser participasse de todos os homens, incompletamente de cada [?], por uma suma de não-eus sintetizados num eu postiço.Sê plural como o universo! Fernando Pessoa.

domingo, 24 de abril de 2011

Venha sem freios, sem pudor
Entre... não peça licença nem se acanhe
meu coração sempre foi tua casa.

Venha para que eu te cuide
 te faça germinar,
para que enfim  cresça, se espalhe por todo  o lar...
Perfume e embeleze meus dias.

Venha preencher meu coração de calor
Minha face de sorrisos
Minha mente de ilusões.

Venha para que eu cante para ti as mais belas
canções inspiradas nas sensações
que me provocas com tua presença.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Fecho os olhos, te encontro em meus pensamentos. Me alimento de tuas saborosas lembranças, delas sobrevivo.
Te espero ,me agarrando ferozmente nas palavras em que me disseste naquela noite em que nos despedimos.
Aguardo noite após noite com o coração acelerado.
A tristeza que me domina por tua ausência, alivia-se pela certeza que tenho do teu retorno.
Eu sei que virá outra vez, que surgirá em uma noite qualquer, com as malas nas mãos e um sorriso no rosto. Que me abraçará demoradamente e entrará porta a dentro da minha casa e do meu coração para nunca mais partir.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Não sei bem dizer o que me move, o que me arrasta em direção a esse sentimento, sei que tento fugir, correr em outra direção me apegar a algo.. a alguém. Me entregar. Estou cansada de esconder o que sinto dentro do peito, cansada do querer e não poder. O meu sentimento é voraz. Sinto medo de algum dia não poder mais conte-lo. Tenho medo da explosão, o "bum" do amor pode causar danos, em nós dois...Pode soltar estilhaços, ferir  aos demais. Por isso devo partir para longe de ti, meu catalisador, antes que seja tarde.

Estou em ebulição.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Que seja forte, quente e brilhante como o sol em um dia de verão...